Vantagens e desvantagens de contratar um decorador profissional

Vantagens

  • Faz um estudo prévio da casa e do lifestyle dos seus proprietários para enquadrar na proposta que apresentará.
  • Tem largos conhecimentos e experiência em todo o tipo de matéria relacionada com o design de interiores – desde o aproveitamento de espaço, escolha de cores, tipo de tintas, têxteis, padrões, texturas, à disposição de mobília, conjugação de todas as peças, melhor tipo de iluminação, criação de ambientes temáticos, etc.
  • Analisa e trabalha todos os projectos não só de um ponto de vista estético, mas também em termos práticos e funcionais.
  • Sempre atentos às actuais tendências do mercado e devido à sua experiência, podem sugerir ideias inovadoras e sobre as quais nunca teria pensado.
  • Pode ajudar duas pessoas a chegarem a um consenso relativamente a divergências sobre como decorar o quê.
  • Conhecem e têm muitas parcerias com outros profissionais da área da decoração: arquitectos, pintores, carpinteiros, fábricas de revenda, etc, que pode revelar-se muito vantajoso para os clientes.
  • Será uma experiência menos stressante, pois terá um profissional a tratar e a lidar com todas as outras pessoas necessárias ao projecto, ou seja, não tem de se preocupar em encomendar o sofá ou supervisionar a pintura das paredes.
  • São peritos em trabalhar dentro do orçamento pré-estabelecido pelo cliente.
  • Ter a sua casa assinada por um designer de interiores de renome – um orgulho e uma vantagem na hora de vender, por exemplo.

Desvantagens

  • Como tudo na vida, quando não há química, os objectivos nem sempre são atingidos. No caso de um decorador profissional isto pode acontecer se, por exemplo ele/ela é um especialista em decoração minimalista e o seu estilo preferido é o tradicional.
  • O decorador contratado pode não ter a experiência que diz ter.
  • Não lhe é apresentado uma maquete ou a palete de cores que lhe foi prometido e vê-se obrigado a confiar cegamente no decorador.
  • Um decorador profissional pode estar a desenvolver vários projectos em simultâneo, sendo que poderá dedicar menos atenção à sua casa do que gostaria ou esperaria.
  • Devido às diferentes agendas e/ou incapacidade de expressar exactamente o que pretendia, o resultado é uma divisão que não reflecte minimamente a sua personalidade ou estilo de vida.
  • O processo decorativo pode não desenvolver com a rapidez que pensava, uma vez que está dependente de outra pessoa.
  • Devido à sua larga experiência, pode tentar influenciar um cliente a aceitar, sem perguntas, tudo aquilo que lhe apresentar. Pode, por exemplo, aliciá-lo a adquirir elementos que ultrapassam o seu orçamento.
  • O projecto final pode não ser tão pessoal como gostaria, destacando-se características específicas do decorador, principalmente se lhe der “carta-branca”.
  • Pode ser uma experiência muito stressante, principalmente se o projecto não correr como planeado e/ou se não existir empatia entre cliente e decorador.
  • Os seus serviços podem revelar-se caros.

Fonte: Eu Decoro

 

Deixe um comentário